Fornecendo as últimas notícias de última hora!

Setor Imobiliário movimentou R$ 4,2 bilhões em Cuiabá no ano passado

Apesar do crescimento na movimentação financeira de 1,49% entre 2022 e 2023, os dados do Sindicato da Habitação do estado (Secovi-MT) mostram uma redução de 14,02% no número de unidades comercializadas no mesmo período.

O levantamento de 2023 dos Indicadores do Mercado Imobiliário de Cuiabá, realizado pelo Sindicato da Habitação de Mato Grosso (Secovi-MT) e divulgado pela Fecomércio-MT, trouxe uma movimentação financeira de R$ 4.205 bilhões, montante 1,49% superior ao registrado no ano anterior. No entanto, foi observado um recuo de 14,02% no número de unidades comercializadas no período, totalizando 9.218 imóveis em 2023.

Apesar da redução observada na pesquisa, o valor total transacionado se aproxima da máxima histórica de 2021, quando foi registrado uma circulação no setor de mais de R$ 4,3 bilhões. Já o número de unidades comercializadas segue em queda pelo segundo ano consecutivo, atingindo em 2021 o recorde de vendas, com quase 12 mil imóveis.

O presidente do Secovi-MT, Marco Pessoz, que também responde pela vice-presidência da Fecomércio-MT, destaca que foi observado um aumento significativo no valor total de vendas de imóveis entre o 4º trimestre de 2022 e o mesmo período de 2023. “O último trimestre do ano passado apresentou um sinal de recuperação, com um notável aumento transacionado, passando de R$ 895,9 milhões em 2022 para R$ 1,1 bilhão em 2023, um crescimento de aproximadamente 23%”.

Os dados de 2023 mostram que a maioria dos imóveis vendidos no ano são usados (8.275), e apenas 943 foram de novos empreendimentos. Do total comercializado, a maioria (3.958) foi de apartamentos. As regiões leste e oeste da capital mato-grossense foram as mais buscadas, correspondendo a 64,6% do total comercializado, em áreas consideradas residenciais.

O ticket médio saltou 13,6% entre 2022 e 2023, com uma média de gasto de R$ 456.215,03, sendo que no último trimestre de 2023, o valor chegou a R$ 505,3 mil. O responsável técnico pela pesquisa e vice-presidente do Secovi-MT, Guido Grando Junior, destaca a tendência de compras por parte dos consumidores.

“Essa mudança sugere que, embora haja uma diminuição no volume de unidades comercializadas, os imóveis vendidos tendem a ser de maior valor, indicando possivelmente uma preferência por imóveis de alto padrão”, ressalta o vice-presidente do Secovi-MT.

Pessoz também conclui que o “mercado imobiliário de Cuiabá demonstra resiliência e adaptabilidade diante das mudanças econômicas, revelando um cenário que mescla dinamismo e estabilidade. A análise dos indicadores do 4º trimestre e a comparação anual de 2022 e 2023 indicam uma consistência que fornece segurança para os investidores”.

O estudo de evolução do mercado imobiliário conta com o apoio da Fecomércio-MT e é realizado desde 2015 pelo Secovi-MT, em parceria com a Secretaria de Fazenda do município de Cuiabá, com fonte dos dados do ITBI municipal.

O Sistema S do Comércio, composto pela Fecomércio, Sesc, Senac e IPF em Mato Grosso, é presidido por José Wenceslau de Souza Júnior. A entidade é filiada à Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que está sob o comando de José Roberto Tadros.

Share this article
Shareable URL
Prev Post

Thiago Silva destina R$ 3,6 milhões para cirurgias eletivas em Rondonópolis

Next Post

Wellington vê como algo natural a união entre o PL e o MDB

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Read next